Index   Back Top Print

[ DE  - EN  - FR  - IT  - PT ]

DISCURSO DO PAPA BENTO XVI
AO SENHOR MD. ABDUL HANNAN, NOVO EMBAIXADOR
DA REPÚBLICA POPULAR DO BANGLADESH
JUNTO DA SANTA SÉ POR OCASIÃO
DA APRESENTAÇÃO DAS CARTAS CREDENCIAIS

Sala Clementina
Quinta-feira, 17 de Dezembro de 2009

 

Senhor Embaixador!

É com prazer que lhe dou as boas vindas neste acto em que Vossa Excelência apresenta as Cartas Credenciais que o acreditam como Embaixador da República Popular do Bangladesh junto da Santa Sé. Agradeço-lhe as saudações que me transmitiu da parte da Sua Excelência, o Presidente Zillur Rahman, e peço-lhe que lhe transmita os meus orantes bons votos pelo seu duradouro bem-estar e do povo do Bangladesh. A recente visita ao Vaticano do Primeiro-Ministro, Sua Excelência o Xeque Hasina Wajed, deu-me uma boa oportunidade para renovar o nosso empenho comum para reforçar o espírito de cooperação que tem caracterizado as relações cordiais entre a Santa Sé e o Bangladesh, há mais de trinta anos.

Excelência, enquanto o seu país ainda enfrenta muitos desafios económicos, sociais e ambientais, os significativos passos rumo ao desenvolvimento, dados recentemente, suscitaram a esperança dos seus cidadãos e chamaram a atenção da inteira comunidade global. Embora o número exíguo, também os católicos bangladeshianos compartilham as expectativas de que os esforços de colaboração, que permitiram alcançar estes benefícios, continuarão a animar a nação, enquanto os cidadãos estabelecem novos objectivos para o futuro e encontram novos caminhos para os alcançar.

Um destes objectivos foi a redução da pobreza. A sua diminuição está inextricavelmente ligada à difusão do emprego retribuído. O trabalho exprime a dignidade humana, permitindo que os homens e as mulheres realizem os seus talentos, desenvolvam as suas capacidades, e reforcem os laços da recíproca solidariedade. Esta solidariedade, por sua vez, tem também uma dimensão espiritual, pois dividindo os frutos dos seus trabalhos uns com os outros e especialmente com os mais carenciados as pessoas testemunham, em toda a parte, a bondade do Omnipotente e a sua solicitude para com os mais pobres e os mais frágeis.

Neste contexto, não se pode deixar de notar o sucesso das iniciativas do seu país em relação ao microcrédito e microfinança, que gradualmente está a trazer ao seu povo um novo nível de prosperidade.

Ainda mais, estas medidas são os sinais da tutela contra os riscos e os abusos da usura, nos sectores mais vulneráveis da sociedade (cf. Caritas in veritate, 65). Possa a correcta e prudente aplicação de inovativas estratégias de empréstimos suportar as infraestruturas rurais, estimular os mercados e promover o desenvolvimento e a difusão das tecnologias agrícolas, que permitirão um melhor emprego dos recursos humanos, naturais e sócio-económico do seu país.

Melhorar o nível da vida depende também muito do empenho na educação da juventude:  jovens e moças.

Nas últimas décadas, isto tem sido justamente uma prioridade para o Bangladesh, e as aquisições neste âmbito fazem esperar no futuro. Numa época de globalização, é cada vez mais claro que uma maior possibilidade de acesso à educação é essencial para o desenvolvimento a todos os níveis. Sobretudo, é essencial que os professores compreendam a natureza da pessoa humana e olhem no íntimo de cada um dos estudantes como um indivíduo único e precioso, fornecendo alimento à alma e à mente. A Igreja Católica local está a desempenhar o seu papel neste âmbito, espalhando a sua rede de escolas e outras instituições educativas. Neste sentido, o Colégio de formação dos professores, recentemente instituído, pretende fornecer professores apropriadamente qualificados para garantir que o nível possa melhorar ainda mais e que no futuro o empenho no âmbito da educação possa continuar com passos vigorosos. Os positivos e recentes encontros com o Ministério da Educação e o estabelecimento das relações formais entre o Ministério e os Bispos para discutir questões de interesse comum, deveriam servir para reforçar a cooperação no âmbito da educação e permitir a rápida e amistosa resolução de qualquer questão que possa surgir de vez em quando.

Excelência, rezo para que muçulmanos, hindus, cristãos e todas as pessoas de boa vontade no seu país possam ser testemunhas incansáveis da coexistência pacífica, que continua a ser a vocação da humanidade inteira. Com essa finalidade, todos os cidadãos sobretudo os chefes compartilham a responsabilidade de apoiar os princípios que sustentam um correcto sistema democrático de governo. Intimidações e violências corroem as verdadeiras bases da harmonia social e devem ser condenadas como ofensivas para a vida humana e para a liberdade. Mostrar o amor preferencial para com os pobres e os mais aflitos, abraçar os débeis como preciosos aos olhos de Deus:  estes são os modos através dos quais a sociedade é imbuída do sopro da bondade divina, que sustenta a vida de todas as criaturas.

Senhor Embaixador, no início da sua missão, formulo cordialmente votos de sucesso e garanto-lhe as minhas orações e o apoio das várias repartições da Santa Sé que estão prontas para o assistir. Invoco de bom grado abundantes bênçãos divinas, sobre Vossa Excelência, a sua família e todos os cidadãos do Bangladesh.

 

© Copyright 2009 - Libreria Editrice Vaticana

 



© Copyright - Libreria Editrice Vaticana