Index   Back Top Print

[ DE  - EN  - ES  - FR  - HR  - IT  - PT ]

PAPA JOÃO PAULO II

AUDIÊNCIA GERAL

Quarta-Feira, 7 de Janeiro de 2004

 

A maternidade divina de Maria

1. "Alma Redemptoris Mater... Santa Mãe do Redentor...". Assim invocamos Maria no tempo de Natal, com uma antiga e sugestiva antífona mariana, que continua, entre outras, com estas palavras:  "Tu quae genuisti natura mirante, tuum sanctum Genitorem Tu, na maravilha de toda a criação, geraste o teu Criador".

Maria, Mãe de Deus! Esta verdade de fé, profundamente ligada às festas de Natal, é evidenciada de forma particular na liturgia do primeiro dia do ano, solenidade de Maria Santíssima Mãe de Deus. Maria é a Mãe do Redentor; é a mulher eleita por Deus para realizar o projecto salvífico centrado no mistério da encarnação do Verbo divino.

2. Uma humilde criatura gerou o Criador do mundo! O tempo de Natal renova-nos a consciência deste mistério, apresentando-nos a Mãe do Filho de Deus como co-partícipe nos acontecimentos culminantes da história da salvação. A tradição secular da Igreja considerou sempre o nascimento de Jesus e a maternidade divina de Maria como dois aspectos da encarnação do Verbo. "Com efeito recorda o Catecismo da Igreja Católica, citando o Concílio de Éfeso Aquele que ela concebeu como homem por obra do Espírito Santo e que se tornou verdadeiramente seu Filho segundo a carne, não é senão o Filho eterno do Pai, a segunda pessoa da Santíssima Trindade. A Igreja confessa que Maria é, verdadeiramente, Mãe de Deus ("Theotokos")" (n. 495).

3. Do facto de Nossa Senhora ser "a Mãe de Deus" derivam todos os outros aspectos da sua missão; aspectos bem evidenciados pelos títulos com os quais a comunidade dos discípulos de Cristo em todas as partes do mundo a honra. Antes de tudo, os de "Imaculada" e de "Assunção" porque, sem dúvida, aquela que devia gerar o Salvador não podia ser submetida à corrupção derivante do pecado original.

Além disso, a Virgem é invocada como a Mãe do Corpo místico, ou seja, da Igreja. O Catecismo da Igreja Católica, inspirando-se na tradição patrística expressa por Santo Agostinho, afirma que ela "é verdadeiramente "Mãe dos membros de Cristo [...] porque cooperou com o seu amor para que na Igreja nascessem os fiéis, membros daquela Cabeça"" (n. 963).

4. Toda a existência de Maria está, mais do que nunca, estreitamente relacionada à de Jesus.

No Natal é ela quem oferece Jesus à humanidade. Na cruz, no momento supremo do cumprimento da missão redentora, será Jesus quem oferece a cada ser humano a sua própria Mãe, como herança preciosa da redenção.

As palavras do Senhor crucificado ao fiel discípulo João constituem o seu testamento. Ele confia a sua Mãe a João e, ao mesmo tempo, confia o Apóstolo e cada crente ao amor de Maria.

5. Nestes últimos dias do tempo de Natal, detenhamo-nos para contemplar no presépio a presença silenciosa da Virgem ao lado do Menino Jesus. O mesmo amor, a mesma solicitude que teve pelo seu Filho divino, Ela reserva-a também a nós. Por conseguinte, deixemos que Ela oriente os nossos passos no novo ano, que a Providência nos concede viver.

São estes os votos que formulo para todos  vós  nesta  primeira  Audiência geral de 2004. Sustentados e confortados pela sua protecção materna, poderemos contemplar, com um olhar renovado, o rosto de Cristo e caminhar com passos mais apressados pelos caminhos do bem.

Mais uma vez, Feliz Ano Novo a vós aqui presentes e aos vossos familiares!

 


Saudações

Saúdo com afecto os peregrinos e as famílias de língua espanhola. Que a materna protecção de Maria oriente os nossos passos neste novo ano que a Providência nos concede, contemplando o rosto de Cristo e caminhando pelas sendas do bem. Feliz Ano a todos e muito obrigado pela vossa atenção!

Cristo nasceu! Saúdo cordialmente o querido Cardeal Marjan Jaworski e o grupo de peregrinos ucranianos. Caríssimos! Agradeço-vos, de coração, a vossa visita e, ao desejar-vos a todos um Ano de paz, concedo-vos com afecto a minha Bênção. Cristo nasceu!

Saúdo cordialmente o grupo de escuteiros  eslovacos,  provenientes  de Stropkov. Caros jovens, agradeço-vos as orações e, de bom grado, concedo-vos a Bênção apostólica a vós e às vossas famílias na Pátria.

Louvado seja Jesus Cristo!

Dirijo uma saudação cordial ao grupo de peregrinos croatas, vindos de Osijek, de modo especial aos Professores das Escolas Primárias de Fran Krsto Frankopan e de Franjo Krezma, dessa mesma cidade. Sede bem-vindos!

Caríssimos, enquanto me recordo da calorosa recepção que me foi reservada pela vossa cidade no passado mês de Junho, invoco a bênção de Deus sobre vós, sobre os vossos alunos e sobre as vossas famílias e todos os vossos concidadãos.

Louvados sejam Jesus e Maria!

Uma cordial saudação aos peregrinos da  República  Checa,  oriundos  de Vysehrad-Praga. Neste tempo de Natal ressoa nas nossas almas o canto angélico:  "Glória a Deus no mais alto dos céus e paz na terra aos homens por Ele amados" (Lc 2, 14). Possais também vós difundir a paz de Cristo! Com estes votos, abençoo-vos a todos.

Louvado seja Jesus Cristo!

Meus queridos compatriotas! Saúdo-vos cordialmente, por ocasião desta primeira Audiência geral do ano de 2004. Saúdo também as vossas famílias. A vós e a todos os meus compatriotas desejo mais uma vez um feliz Ano novo. Sustente-vos a Mãe de Deus, Maria.

Deus vos recompense!

Transmito um cordial pensamento aos peregrinos de língua italiana. Em particular, saúdo-vos a vós, neo-sacerdotes do Instituto dos Legionários de Cristo, aqui presentes com toda a Comunidade de Roma e com as consagradas do "Regnum Christi". Exorto-vos a haurir em cada dia a graça e a força da Eucaristia, para serdes instrumentos dóceis e operários incansáveis na construção do Reino de Deus.

Depois, saúdo-vos a vós, queridos fiéis circenses, que nestas festas de Natal realizastes os vossos espectáculos em Roma, e encorajo-vos a viver a vossa fé em Cristo, sempre com alegria.

Enfim, dirijo o meu pensamento aos jovens, aos doentes e aos novos casais. Caríssimos, nestes dias após a festa da Epifania,  continuemos  a  meditar  sobre a manifestação de Jesus a todos os povos. A Igreja convida-vos a difundir a luz de Cristo com o testemunho da vossa vida.

 



© Copyright - Libreria Editrice Vaticana