Index   Back Top Print

[ EN  - IT  - PT ]

 

VIAGEM PASTORAL DO PAPA JOÃO PAULO II AO ALASCA, COREIA,
 PAPUA-NOVA GUINÉ, ILHAS SALOMÃO E TAILÂNDIA
(2-11 DE MAIO DE 1984)

MENSAGEM DO SANTO PADRE
POR OCASIÃO DO DIA DAS CRIANÇAS NA COREIA

Sábado, 5 de maio de 1984

 

Queridas Crianças da Coreia

Para mim é uma alegria saudar-vos hoje e dirigir-vos uma especial mensagem para o Dia das Crianças.

Aquilo sobre que desejo falar-vos é o amor, o amor pelo qual fostes criadas, o amor por que anseia cada uma de vós.

1. Um dos discípulos de Jesus, chamado João o Evangelista, escreveu uma carta aos primeiros cristãos explicando que "o amor vem de Deus" e que "Deus é amor" (1 Jo. 4, 7.8). O Deus que é amor, e que tanto nos tem amado, de facto chamou-nos a participar da sua vida, exactamente como um pai partilha a sua vida com os seus filhos. E Deus quer que o amemos em retribuição do amor e da vida que nos deu. Deus é o nosso Pai e pede-nos que o amemos como seus filhos.

Mas Deus também quer que amemos os outros. Este é o significado da nossa vida: amar a Deus e amar os outros — amar os nossos pais, os nossos irmãos e irmãs, os nossos parentes e amigos, todos os seres humanos nossos semelhantes, mesmo aqueles que possam ter-nos magoado ou ofendido. Amar o nosso próximo significa viver para os outros, estender a mão em auxilio, prestar um serviço quando for necessário, ser justo, honesto e puro, afável, fiel e bondoso. Amar o nosso próximo significa ajudar a construir um mundo melhor.

Não o fazemos tanto com as palavras quanto com as obras, porque os actos valem mais que as palavras. É isto o que São João dizia quando escreveu: "Meus filhinhos, não amemos com palavras, nem com a língua, mas por acções e em verdade" (1 Jo. 3, 18).

2. Queridas crianças da Coreia: todas as crianças do mundo, todo o povo do mundo merecem o vosso amor, independentemente da sua nacionalidade, sexo, religião ou raça; quer sejam fortes ou débeis, ricos ou pobres, sãos ou doentes. Amar é pensar nas outras pessoas, aceitar os outros, sair do vosso caminho para os ajudar, os servir, os encorajar. Partilhar com os outros o mundo e as coisas boas que ele tem, como Deus as partilhou convosco. Amando os outros, descobrireis o significado da vida; na realidade descobrireis o Dador da vida, o Criador do mundo, o Deus e Pai de todos nós.

3. E se vós sois cristãs, queridas crianças, tendes uma especial razão para amar: para ser como Jesus, que é o eterno Filho de Deus, o Filho que se fez homem para dar a sua vida por nós na Cruz, por amor, para nos ajudar a compreender o significado do amor, para também nos tornar capazes de amar.

4. E hoje, eu, João Paulo II, como Representante de Jesus, como Bispo de Roma, ofereço o meu amor a cada menino e a cada menina na Coreia, a cada um e a todos sem distinção alguma. Proclamo a vossa dignidade humana como filhos de Deus criados para partilhar do amor de Deus para sempre. Proclamo os vossos direitos, por muito pequenos e indefesos que sejais, e proclamo os deveres que acompanham os vossos direitos, os quais sois chamados a cumprir por amor; a fim de salvaguardar os direitos dos outros. Eu amo de modo especial todas as crianças que sofrem, que estão sozinhas, abandonadas, de modo especial as que não têm ninguém que as ame e lhes dedique os seus cuidados. Queridas crianças, dou-vos todo o amor do meu coração.

Também quero encorajar todos aqueles que trabalham para construir um mundo de paz em que possais viver, aqueles que se preocupam com a vossa saúde, que vos instruem, que vos falam de Deus. Estou espiritualmente próximo dos vossos pais, que vos transmitiram o dom divino da vida e são os primeiros a ensinar-vos o significado do amor, Hoje uno o meu amor ao deles, e juntos unimos o nosso amor ao amor de Deus, que nos amou e nos pediu para retribuir o seu amor.

Queridas crianças da Coreia, o vosso futuro e o destino desta terra dependem, sob a protecção de Deus, da vossa disponibilidade para amar. Esta é a minha mensagem para hoje e para os anos vindouros, a minha mensagem de amor: "Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus" (1 Jo. 4, 7).

 



© Copyright - Libreria Editrice Vaticana