Index   Back Top Print

[ ES  - PT ]

 

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
AO NOVO EMBAIXADOR DA COLÔMBIA JUNTO DA SANTA SÉ
POR OCASIÃO DA APRESENTAÇÃO DAS CARTAS CREDENCIAIS

16 de Abril de 1984

 

Senhor Embaixador

As palavras que Vossa Excelência me dirigiu ao apresentar as Cartas Credenciais que o acreditam como Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da Colômbia junta da Santa Sé, foram-me particularmente gratas porque me fazem sentir o afecto de todos os amadíssimos filhos dessa nobre Nação.

Ao agradecer-lhe as suas amáveis expressões, bem como a deferente saudação que me transmitiu da parte do Senhor Presidente da República, dou-lhe as minhas mais cordiais boas-vindas, ao mesmo tempo que lhe asseguro o meu apoio para o desempenho da importante missão que lhe foi confiada.

Vossa Excelência referiu-se aos tradicionais sentimentos dos colombianos, entre os quais se destaca a sua aproximação ao Sucessor de Pedro, manifestada de modo particular durante a visita apostólica que foi realizada à Colômbia pelo meu Predecessor Paulo VI. Estes sentimentos têm desde há tempo uma manifestação externa nas relações que a Colômbia mantém com esta Sé Apostólica, orientadas na busca do bem comum dos cidadãos que, por sua vez, são em grande maioria filhos da Igreja católica.

Também aludiu Vossa Excelência à acção constante da Santa Sé em favor da paz entre os povos e entre as nações, acção que está a encontrar ressonância em diferentes sectores sociais e governamentais. Por isso é para mim motivo de consolo saber que na Colômbia se trabalha também pela paz interna e se colabora activamente com outros Países, para restabelecer relações pacíficas entre os povos da América Central.

As dificuldades que parecem apresentar-se no árduo caminho empreendido, não devem desanimar os protagonistas deste nobilíssimo esforço, mas sim devem estimulá-los a redobrar os seus intentos, sendo eles conscientes de que os objectivos fixados — a pacificação da Região, num quadro de justiça e de liberdade para todas e cada uma das Nações — merecem o máximo empenho.

Como dizia na minha Mensagem para o Dia da Paz de 1982, "Muito embora a paz deva constituir a preocupação de todos os homens, a sua construção é uma tarefa que cabe, directa e principalmente, aos dirigentes políticos. Sob este ponto de vista, é sempre a Nação, enquanto sociedade politicamente organizada, o espaço principal para a edificação da paz. Se a formação de uma sociedade política tem como objectivo a instauração da justiça, a promoção do bem comum e a participação de todos, então a paz desta sociedade não será realidade senão na medida em que estes três imperativos forem respeitados" (n. 9).

Para que a paz interna seja uma realidade cada vez mais palpável, é necessário que se extirpem as causas de discórdia entre os homens, principalmente as injustiças, muitas das quais provêm de desigualdades económicas ou de diversos tipos de discriminação, com o consequente afã de domínio e desprezo das pessoas; esquecendo deste modo que todos somos irmãos, filhos do mesmo Pai. Por isso é necessário que sempre se persiga a dignificação das pessoas e grupos étnicos, facilitando-lhes todos os meios possíveis para que possam ser e considerar-se cidadãos de pleno direito (cf. Gaudium et spes, 29).

A Igreja na Colômbia tem muito presente a realidade social e as pessoas às quais é dirigida a sua missão evangelizadora. Em não poucas ocasiões manifestou-se em favor da igualdade de todos os homens e da defesa dos mais pobres e necessitados, ao mesmo tempo que está a trabalhar segundo as suas possibilidades na promoção integral de cada pessoa e grupo social.

Neste sentido a Santa Sé está convencida de que o Episcopado e clero da Colômbia, no desenvolvimento da sua missão pastoral e evangelizadora, poderão continuar a colaborar também, a partir da sua própria perspectiva, em tantas iniciativas e esforços que favorecem bem comum.

Ao renovar-lhe, Senhor Embaixador, a minha benevolência para cumprimento da sua missão, invoco sobre Vossa Excelência, sobre as Autoridades que houveram por bem confiar-lha e sobre o querido povo colombiano, abundantes e escolhidas graças divinas.

 


© Copyright - Libreria Editrice Vaticana