Index   Back Top Print

[ EN  - IT  - PT ]

 

DISCURSO DO PAPA FRANCISCO
AOS PARTICIPANTES NO SIMPÓSIO INTERNACIONAL MÉDICO
 ORGANIZADO PELA "NATIONAL FOUNDATION FOR CANCER RESEARCH"

Sexta-feira, 27 de abril de 1984

 

Caros Amigos

1. É para mim uma honra e um prazer dar as boas-vindas ao Vaticano a todos os participantes no Simpósio Internacional organizado pela National Foundation for Cancer Research. Ao saudar-vos hoje desejo manifestar o meu profundo apreço pela importante contribuição que dais para a saúde e a felicidade da família humana. Através da vossa generosidade e auto-sacrifício no trabalho de investigação, disciplinado e por vezes monótono, vós contribuístes muito para a nossa compreensão das causas e da natureza do cancro, bem como dos melhores métodos para o tratar eficazmente. Este Simpósio é mais um exemplo dos vossos infatigáveis esforços a este respeito, e da vossa preocupação por todos aqueles que em todo o mundo sofrem desta espantosa doença.

2. Publiquei há alguns meses uma Carta Apostólica sobre o sentido cristão do sofrimento humano. Neste documento, procurei trazer a luz de Cristo a esta experiência que constitui uma parte essencial da vida de cada pessoa. Para além deste meu desejo de ajudar as pessoas a encontrar um sentido na face misteriosa do sofrimento, quis também chamar reconhecidamente a atenção para aqueles que, como vós próprios, são particularmente sensíveis ao sofrimento dos outros, procurando oferecer-lhes não apenas simpatia e compaixão mas também a esforços concretos para aliviar as suas dores. A este respeito afirmei: "Quanto de 'bom samaritano' têm as profissões do médico ou da enfermeira, ou outras similares! Em virtude do conteúdo 'evangélico' que nelas se encerra, somos inclinados a pensar, nestes casos, mais em vocação do que em simples profissão. E as instituições que, no decorrer das gerações, realizaram um serviço de 'bom samaritano', desenvolveram-se e especializaram-se ainda mais nos nossos dias. Isto prova, sem sombra de dúvida, que o homem de hoje se detém cada vez com maior atenção e perspicácia junto dos sofrimentos do próximo, tenta compreendê-los e precavê-los de modo cada vez mais preciso, e conquista também cada vez mais capacidade e especialização neste sector. Tendo presente tudo isto, podemos dizer que a parábola do Samaritano do Evangelho se tornou uma das componentes essenciais da cultura moral e da civilização universalmente humana. E pensando em todas aquelas pessoas que, com a sua ciência e capacidade, prestaram múltiplos serviços ao próximo que sofre, não podemos deixar de ter para com elas uma palavra de reconhecimento de gratidão" (Salvifici Doloris, 29).

3. As investigações médicas exigiram durante anos a adopção de métodos de especialização avançada em ordem a realizar novas descobertas. Mais recentemente, tem sido cada vez mais necessário um estudo inter-disciplinar que integre os dados provenientes dos vários campos do conhecimento, tais como a medicina, a biologia, a química, a física, a matemática, etc. Tudo isto aponta para a necessidade de um crescente diálogo e colaboração entre homens e mulheres das diversas ciências. Para além disso, um numero cada vez maior de cientistas e investigadores sentem a importância de situar os resultados da sua investigação num contesto social e cultural mais vasto, e de dar a devida atenção aos princípios morais e aos valores espirituais que estão associados às novas descobertas. Com o vosso desejo de encontrar o Papa por ocasião deste Simpósio Internacional, vós mostrais a vossa própria sensibilidade a estas questões.

A investigação Médica e todo o estudo científico em geral necessita do apoio e da orientação dos valores morais e espirituais. De facto, tal investigação destina-se em última análise ao bem integral da pessoa, mesmo quando o seu objectivo imediato é o tratamento de determinados tecidos ou órgãos corporais. Existe uma profunda unidade entre o corpo e o espírito. Uma unidade tão substancial que mesmo a actividade mais espiritual é afectada pela condição corporal, e o próprio corpo, por seu lado, realiza sua finalidade quando é orientado pelo espírito. Gostaria pois de encorajar todos quantos promovem o estudo interdisciplinar na investigação sobre o cancro e em outros problemas médicos, e desejo sublinhar que este estudo deve incluir também a sabedoria que se encontra na herança espiritual da família humana. Asseguro-vos, a este respeito, o maior interesse da Igreja Católica acerca da vossa investigação, e a sua disponibilidade para dialogar e compartilhar convosco as tradições éticas e espirituais da fé cristã.

4. A interdisciplinaridade da ciência moderna provocou também uma internacionalização que reúne todos os que realizam esta investigação, como se vê claramente neste vosso Simpósio. Trata-se de um sinal de esperança num crescente espírito de fraternidade e frutuosa cooperação entre os homens e as mulheres de boa vontade provenientes de todas as nações. Rezo para que os vossos êxitos e realizações proporcionem às pessoas a esperança e a assistência, nata apenas a um pequeno número de privilegiados mas a todas as pessoas através do mundo.

Senhoras e Senhores, a vossa missão tem realmente uma nobre e vital importância. Deus vos dê alegria e força no vosso trabalho, e vos abençoe e às vossas famílias com uma paz duradoura.

 



© Copyright - Libreria Editrice Vaticana