Index   Back Top Print


VISITA PASTORAL À PARÓQUIA DE SANTA MARIA DA ORAÇÃO

HOMILIA DO PAPA FRANCISCO

Domingo, 16 de Março de 2014

Vídeo
Galeria fotográfica

 

Na oração no início da Missa pedimos ao Senhor duas graças: «ouvir o teu Filho amado», para que a nossa fé seja alimentada pela Palavra de Deus, e — a outra graça — «purificar os olhos do nosso espírito, para que um dia possamos gozar da visão da glória». Ouvir, a graça de ouvir, e a graça de purificar os olhos. Isto está precisamente em relação com o Evangelho que ouvimos. Quando o Senhor se transfigura diante de Pedro, Tiago e João, eles ouvem a voz de Deus Pai, que diz: «Este é o Meu Filho! Escutai-O!». A graça de ouvir Jesus. Por quê? Para alimentar a nossa fé com a Palavra de Deus. E esta é uma tarefa do cristão. Quais são as tarefas do cristão? Talvez me digais: ir à Missa aos domingos; fazer jejum e abstinência na Semana Santa; fazer isto... Mas a primeira tarefa do cristão é ouvir a Palavra de Deus, ouvir Jesus, porque Ele nos fala e nos salva com a sua Palavra. E Ele torna mais firme, mais forte a nossa fé, com esta Palavra. Escutai Jesus! «Mas, padre, eu escuto Jesus, escuto-o tanto!». Sim? O que escutas?», «Ouço o rádio, a televisão, as conversas das pessoas...». Ouvimos tantas coisas durante o dia, tantas coisas... Mas faço-vos uma pergunta: dedicamos um pouco de tempo, todos os dias, a ouvir Jesus, a ouvir a Palavra de Jesus? Em casa, temos o Evangelho? E ouvimos todos os dias Jesus no Evangelho, lemos um trecho do Evangelho? Ou temos medo disto, ou não estamos habituados? Escutar a Palavra de Jesus, para nos alimentar! Isto significa que a Palavra de Jesus é o alimento mais forte para a alma: alimenta a nossa alma, alimenta a nossa fé! Eu vos sugiro, que dediqueis todos os dias alguns minutos a ler um lindo trecho do Evangelho e a ouvir o que ele descreve. Ouvir Jesus, e aquela Palavra de Jesus todos os dias entra no nosso coração e torna-nos mais fortes na fé. Sugiro também que tenhais um pequeno Evangelho, pequenino, para levar no bolso, na carteira e quando temos um pouco de tempo, talvez no autocarro... quando é possível, porque muitas vezes no autocarro somos um pouco obrigados a manter o equilíbrio e também a defender os bolsos, não?... Mas quando estás sentado, aqui ou ali, podes ler, também durante o dia, pegar no Evangelho e ler duas palavrinhas. O Evangelho sempre connosco! Dizia-se de alguns mártires dos primeiros tempos — por exemplo de santa Cecília — que levavam sempre o Evangelho com eles: levavam-no, o Evangelho; ela, Cecília levava o Evangelho. Porque é precisamente o nosso primeiro passo, é a Palavra de Jesus, aquilo que alimenta a nossa fé.

E depois a segunda graça que pedimos foi a da purificação dos olhos, dos olhos do nosso espírito, para preparar os olhos do espírito para a vida eterna. Purificar os olhos! Eu sou convidado a ouvir Jesus e Jesus manifesta-se e com a sua Transfiguração convida-nos a olhar para ele. E olhar para Jesus purifica os nossos olhos e prepara-os para a vida eterna, para a visão do Céu. Talvez os nossos olhos estejam um pouco doentes porque vemos tantas coisas que não são de Jesus, que são até contra Jesus: coisas mundanas, coisas que não fazem bem à luz da alma. E assim esta luz apaga-se lentamente e sem saber acabamos na escuridão interior, na escuridão espiritual, na escuridão da fé: escuridão porque não estamos habituados a olhar, a imaginar as coisas de Jesus.

É isto que nós hoje pedimos ao Pai, que nos ensine a ouvir Jesus e a olhar para Jesus. Escutar a sua Palavra, e pensai naquilo que vos dizia do Evangelho: é muito importante! E reparai: quando leio o Evangelho imaginar e ver como era Jesus, como fazia as coisas. E assim a nossa inteligência, o nosso coração vão em frente pelo caminho da esperança, no qual o Senhor nos coloca, como ouvimos que fez com o nosso pai Abraão. Recordai-vos sempre: escutar Jesus, para tornar mais forte a nossa fé; olhar para Jesus, para preparar os nossos olhos para a linda visão do seu rosto, onde todos — o Senhor nos conceda a graça — nos encontraremos numa Missa sem fim. Assim seja.

 




© Copyright - Libreria Editrice Vaticana