Index   Back Top Print

[ FR  - IT  - PT ]

 

SAUDAÇÃO DO PAPA JOÃO PAULO II
NO FINAL DA SANTA MISSA PARA OS MEMBROS
DO PONTIFÍCIO CONSELHO PARA OS LEIGOS

26 de setembro de 1983

 

Senti grande alegria ao celebrar esta Missa, convosco, Eminência, que assegura a presidência do Pontifício Conselho para os Leigos, e também convosco, membros, consultores e delegados do "Congresso".

Mediante a vossa disponibilidade e os vossos conselhos, contribuístes para construir este organismo para os leigos, que está apenas na primeira fase da sua existência. Após sete anos de trabalho assíduo, o vosso mandato está para terminar. Parece-me minto significativo, nesta ocasião, estarmos a celebrar a Eucaristia: deste modo viveis este momento particular num encontro com Cristo. A Eucaristia, uma vez mais, fez que tomássemos consciência de que o tempo e o trabalho consagrados à promoção do apostolado dos leigos eram antes de tudo oferecidos ao próprio Senhor. Portanto, Ele será a vossa recompensa.

Este ano, o nosso encontro realiza-se num contexto de intimidade. Este facto é simbólico, parece-me; ele é o sinal de que os vínculos que nos unem, vós a mim e eu a vós, se tornaram mais estreitos. E se vos exprimo o meu reconhecimento, sabei que o faço como Sucessor de Pedro e também pessoalmente, pois o vosso empenho foi para mim fonte de alegria e de encorajamento. Constatar que a união dos leigos a Deus e as diferentes formas do apostolado deles se tornam cada vez mais uma força ao serviço do Evangelho e que muitas vezes, no Espírito de Cristo, eles proporcionam um novo estímulo à acção da Igreja "ad intra" e "ad extra" é de facto, para mim, fonte de conforto muito grande.

Por isso vos peço instantemente que não considereis este dia como o término do vosso empenho apostólico ao serviço dos leigos. Vós deveis considerá-lo como a conclusão de um período de formação durante o qual acumulastes tesouros para partilhar com os vossos irmãos. Os vossos esforços por sensibilizar os leigos à sua responsabilidade de anunciarem o Evangelho e de santificarem o mundo, apenas começaram. Esta missão é e sempre será a vossa. Ela exige que lhe consagreis, em continuidade e durante a vossa vida inteira, todas as vossas energias. Eis, pois, o augúrio e a oração que hoje faço: Deus vos fortaleça e abençoe a fim de poderdes sempre corresponder às exigências desta missão.

 



© Copyright - Libreria Editrice Vaticana