Index   Back Top Print


MENSAGEM DO PAPA BENTO XVI
AO PATRIARCA CIRILO
PELA ENTRONIZAÇÃO EM MOSCOVO

 

 

A Sua Santidade Cirilo
Patriarca de Moscovo
e de todas as Rússias

Saúdo com alegria Vossa Santidade no momento em que assume a grande responsabilidade de pastor da venerada Igreja Ortodoxa Russa. Recordo prontamente a boa vontade que caracterizou os nossos encontros durante o seu serviço como Presidente do Departamento das Relações Externas do Patriarcado de Moscovo. Na ocasião da sua entronização desejo reafirmar a minha estima e a minha proximidade espiritual. Rezo a fim de que o nosso Pai celeste lhe conceda os dons abundantes do Espírito Santo no seu ministério e que lhe permita guiar a Igreja no amor e na paz de Cristo.

Agora, é o novo sucessor do nosso amado irmão de venerada memória, Sua Santidade Aleixo II, que deixou ao seu povo uma herança profunda e duradoura de renovação e desenvolvimento eclesial, visto que guiou a Igreja Ortodoxa Russa para fora de um longo e difícil período de sofrimento sob o sistema totalitário e ateu rumo a uma presença e serviço novos e activos na sociedade actual. O Patriarca Aleixo II trabalhou assiduamente para a unidade da Igreja Ortodoxa Russa e para a comunhão com as outras Igrejas Ortodoxas. Da mesma maneira, manteve um espírito de abertura e cooperação com outros cristãos e com a Igreja Católica em particular, pela defesa dos valores cristãos na Europa e no mundo. Estou convicto de que Vossa Santidade continuará a construir sobre esta base sólida, para o bem do seu povo e em benefício dos cristãos em toda a parte.

Como Presidente do Departamento das Relações Externas do Patriarcado de Moscovo, Vossa Santidade desempenhou um papel de máxima importância ao instaurar uma nova relação entre as Igrejas, uma relação baseada na amizade, na recíproca aceitação e no diálogo sincero para enfrentar as dificuldades do nosso caminho comum. Espero sinceramente que continuemos a cooperar para encontrar modos de nutrir e fortalecer a comunhão no Corpo de Cristo, na fidelidade à oração do nosso Salvador para que todos sejam um só, para que o mundo creia (cf. Jo 17, 21).

Consciente das enormes responsabilidades que acompanham o ministério espiritual e pastoral ao qual o Espírito Santo o chamou, renovo a Vossa Santidade a certeza das minhas orações e da minha fraterna boa vontade. Peço a Deus Omnipotente que o abençoe com o seu amor, vele sobre a amada Igreja Russa, e apoie os Bispos, os sacerdotes e todos os fiéis na nossa esperança inexaurível que é Jesus Cristo.

Vaticano, 28 de Janeiro de 2009.

PAPA BENTO XVI

 

© Copyright 2009 - Libreria Editrice Vaticana

 



© Copyright - Libreria Editrice Vaticana